Microgeração: ponto de situação e melhorias

microgeração de energia

A microgeração inverteu o convencional processo de compra e venda de energia eléctrica. A microprodução de energia garantiu ao consumidor a possibilidade de produzir e vender a própria electricidade produzida à rede pública. Com ela trouxe uma dinamização do mercado dos painéis solares térmicos e fotovoltaicos no nosso país, dado que é necessário gerar a energia a partir de equipamento que recorre a energias renováveis, como a fotovoltaica. Mas nem tudo são rosas no domínio da Microgeração.

A microgeração não pode estar limitada às cerca de 3 mil instalações anuais. Veja-se o evidente excesso de procura face à oferta substanciado na corrida que é feita ao Sistema de Registo de Microprodução (SRM), constantemente entupido nas horas em que é aberto para o efeito, e onde os critérios de avaliação não são os melhores, ou melhor, nem existem, uma vez que as candidaturas são “atendidas” pela simples ordem de chegada e não, como deveriam, analisadas pelo seu potencial de eficiência energética.


O anfitrião do Microgeração de Energia. Alguém interessado nas Energias Renováveis e na sustentabilidade energética.

Ainda sem comentários.

Deixe um comentário